quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

SEGREDOS DO RECÔNCAVO BAIANO

Igreja do Senhor de Vera Cruz - Localizada no Baiacu (Vera Cruz - Ilha de Itaparica / BA) o monumento do séc. XVI encontra-se atualmente em ruínas. A segunda Igreja do Brasil foi construída por escravos, que utilizaram tijolos cerâmicos, óleo de baleia e cal para executar a obra. O impressionante é que tornaram-se parte da igreja as gameleiras - também conhecidas como iroko ou lôko - "árvores sagradas do candomblé, cujas raízes se confundem com os alicerces da igreja e as copas se abraçam como a sustentar o que resta do templo"

Todo mês de janeiro membros da Casa Mestre Ananias percorrem as trilhas do Recôncavo Baiano em busca dos segredos guardados no berço do nosso país. São experiências únicas vivenciadas por aqueles que têm a Capoeira como força espiritual e um jeito de se viver.

Como reza nosso costume iniciamos a viagem na Ilha de Itaparica (clique fotos) no evento "De Vento em Popa 2012" realizado anualmente pelo nosso amigo Mestre Jaime de Mar Grande. "O Centro da Roda é o Centro da Vida" foi o nome dado a esse encontro onde aconteceram, além das rodas de Capoeira, muitas ações culturais. Somos gratos ao senhor Mestre Jaime e a todos os filhos da "Associação Cultural de Capuêra Angola Paraguassú" entre os baianos, mineiros e os conterrâneos paulistas.





Na programação do evento visitamos o Baiacu, região tradicional de marisqueiros e sambadores. Esse ano
a Casa Mestre Ananias junto a um dos nossos apoiadores, a Playtech, pôde presentear com um cavaquinho o sambador Rimú, violeiro de carisma singular da Ilha.








Rimú com seu novo cavaco, Minhoca e Rafael, camarada que viveu algumas aventuras por esse cavaco (rs) valeu irmão!

Na 2ª fase da nossa viagem tivemos a chegada do nosso irmão Pedro, membro da Casa Mestre Ananias, que pela primeira vez pisou na Bahia direto em Cachoeira, terra de nosso Mestre. Fomos para São Félix encontrar Seu Geninho, sambador que traz na memória histórias do nosso Mestre Ananias ainda jovem, do Samba e dos Capoeiras antigos da região.

Ponte sobre o Rio Paraguassu que liga Cachoeira e São Félix

Ao centro Seu Geninho, Mestre do Samba "Filhos do Varre Estrada" de São Félix

Agradecemos muito à parceria do Instituto Identidade Brasil em nome da nossa amiga Rosângela Cordaro, que além do apoio às pesquisas da Casa nos acolhe tão bem em Cachoeira no Casarão Amarelo, sede do belo projeto com a cultura popular do Recôncavo.

Rosângela Cordaro em samba informal com Dona Dalva e família no Instituto Identidade Brasil em Cachoeira

Nossa 3a etapa é rumo a Santo Amaro da Purificação e no distrito de São Brás somos recebidos por Nando, anfitrião de alto gabarito. Além de grande articulador cultural é responsável por um dos maiores temperos da região onde os mariscos e o dendê são a prata da casa.


Nando nos levou à casa de Mestre Felipe, grande representante da Capoeira Santamarense.

E quem cuida da gente... eita família boa no tempero, obrigado Bahia e Branca (lembrando Dona Heide que não está na foto)

A fase final da viagem foi junto à nossa amiga Katharina Doring, uma das pesquisadoras do samba de roda mais sérias e sinceras que tivemos o prazer de conhecer. Estivemos com nossa amiga sambadeira Celina em Teodoro Sampaio, em uma visita rápida mas sempre compartilhando do afeto e da generosidade dessa família tão bonita.

Fê (nossa fotógrafa oculta), Katharina, Minhoca, Celina (nossa mãe em Teodoro Sampaio), Val, Leca (coordenadora da Casa do Samba em Teodoro Sampaio) e Pedro

Um dos momentos mais fortes da viagem aconteceu no Vale do Iguape, movimentos cada vez mais raros, espontâneos e sem interferências do mercado cultural. Acompanhamos a Esmola Cantada onde dezenas de homens e mulheres percorreram mais de 100 casas rezando, cantando e sambando em devoção a São Roque. Das 8h da manhã até as 17h da tarde a Esmola esteve nos quilombos do Dendê, Kaonge, Kalembá e Engenho da Ponte.

A reza dentro de uma das casas de taipa nos quilombos do Iguape

Devoção da dona da casa durante a reza cantada

Sambadores centrais da Esmola Cantada


Gesto de gratidão de uma moradora pela visita da Esmola Cantada em sua casa.


Nas trilhas e caminhos, entre uma casa e outra, sambadores cantam chulas e relativos em desafio

Fim de tarde em Santiago do Iguape registrado pelo violeiro Cássio Nobre ao final do dia 22 de janeiro. Essa foi a recompensa aos sambadores e sambadeiras que retornaram dos quilombos às suas casas de canoa, após o dia inteiro de canto e reza

Fotos Fê Guimarães

3 comentários:

Claudia de Paula disse...

Que lindo! Que axé!! Que saudades dessa terra!! Esse ano não tive férias em janeiro, mas janeiro que vem estarei com vocês de novo!

Z.A. disse...

Maravilhoso e belo astral...lindo e a Fe arrasando, qdo acharem que tenho "méritos" para conhecer essas belas pessoas, e região, me avisem, por favor, Muito bom e bjs a todos...

Projeto Capoeira Angola Estudos e Práticas disse...

Massa demais ver o Mestre Filipe, tive a oportunidade de fazer um joguinho com ele, ano passado aqui no Recife. Em breve vou postar as fotos no blog do PROCAEP. Parabéns pelo blog, parabéns pela história do Mestre Ananias! força na caminhada! axé