segunda-feira, 14 de abril de 2014

A CAPOEIRA E A JATAÍ


Com o olhar atento, grandes valores podem estar ao nosso lado, pisando o chão que a gente pisa e foi assim... em meados dos anos 90 na Praça da República conheci Geraldo Sapateiro, assim chamado entre os mais velhos Capoeiras. Era parte daquela Roda, do lado de dentro e no entorno dela expondo sua arte em madeira, com pneu para as tradicionais alpercatas, com suas bolsas de couro e o que mais pudesse ser natural. Ficava alí, ao lado da barraca do Tomás do Berimbau, figura que marcou uma geração com a personalidade dos seus berimbaus!

O tempo foi passando e pelas frestas da roda tive que curiar sobre esse Capoeira de jogo solto, ligeiro e perigoso. Descobri que chegou em São Paulo na década de 80 e que no Rio de Janeiro, sua terra natal, iniciou Capoeira com Mestre Moraes. Aqui continuou nossa arte com o Mestre Macaco Preto e a Praça da República, sua grande escola.

Mora atualmente no Embu, zona rural da região metropolitana de São Paulo e nos trouxe um presente cheio de Capoeira dentro dele.
 

Pois bem, dando um longo salto no tempo, no aniversário de 88 anos do Mestre Ananias, Geraldo presenteou a Casa Mestre Ananias com uma Colmeia de Jataí.

As histórias contadas sobre esse Capoeira que mora dentro do mato e que trouxe essas abelhas para a cidade instigaram as crianças em conhecer o seu jeito de viver Capoeira.

Foi assim: no início do mês de abril recebemos sua visita para que nos contasse mais sobre o mundo das abelhas e o que elas tem em comum com nossa Capoeira. 


Em uma aula diferente, as crianças ficaram encantadas com as semelhanças entre a organização das abelhas na colmeia (em círculo) e a nossa em uma Roda de Capoeira. A abelha rainha... o Mestre... como somos atraídos e como nos harmonizamos... abelhas... Capoeiras... fazendo tudo existir e continuar. 



Quem vive na cidade vive cidade, quem vive no mato vive mato; receios existem no que vivemos menos. Cada um fala a partir de onde vem mas a Roda de Capoeira gira e não tem jeito, nos aproxima.

Obrigado Geraldo Sapateiro por essa troca de experiências e já esperamos sentir o gosto do mel da jataí no próximo verão.

texto Minhoca

3 comentários:

Z.A. disse...

Bela homenagem Minhoca, e belo aprendizado para a criançada, principalmente com a jataí, abelha rara e mansa...abs.

Juliana Sperandeo disse...

Salve Casa de Mestre Ananias pela bela homenagem ao excelente professor de Capoeira Angola e querido amigo Jose Geraldo Souza Santo, o Geraldo Sapateiro. Agradeço em nome do Grupo de Capoeira Angola Rainha.

Graça disse...

Muito bacana a história e o trabalho do Geraldo sendo lembrado e reconhecido. Caspoeira, artesão, guardião do mato, meu irmão muito querido.