sexta-feira, 1 de abril de 2011

CONVIVENDO E APRENDENDO COM MESTRE ANANIAS FERREIRA

Agradecemos em especial à relação que nossos novos irmãos do Zungu Capoeira vêm construindo junto ao Mestre Ananias, hoje e ao longo destes três anos passados (foto: arquivo Zungu).

Por Rodrigo Bruno Lima "Minhoca"
Todos que se aproximam do Mestre Ananias tem boas história para contar. O Mestre manifesta muita força e representa em si o paradoxo que a arte da Capoeira traz na sua essência. Seu carisma propõe contradições que nos colocam em contato com o guerreiro que mora dentro de cada um de nós.

E é só na convivência que a gente pode aproveitar esse tesouro, por isso que (sem perder esta oportunidade) gostaríamos de exercer aqui um gesto de gratidão. Agradecemos a participação e o carinho dos Capoeiras, das origens mais diversas, que frequentam semanalmente as rodas de Capoeira da Casa. Roda promovida pela comunidade da Capoeira Paulistana e não pelo grupo de Capoeira Angola Senhor do Bonfim. Um encontro espontâneo, onde há um entendimento comum: a Capoeira como filosofia de vida. Com isso nosso Mestre se sente vivo e é assim que, aos 86 anos, faz a gente sentir que o inverno de sua vida não está para chegar.

Por essa e por tantas outras agradecemos a todos!

Obrigado, Zungu, que nos momentos difíceis e na rotina diária mostraram que somos realmente uma família!

4 comentários:

Carlos Primo disse...

Valeu, Zungu Capoeira, pelo bonito trabalho com as crianças no Bixiga e pela difusão de nossa capoeira em Timor Leste e Indonésia!

Claudia de Paula disse...

Só tenho a agradecer ao Zungu.
Beijos a todos!

Cacá disse...

Nós é quem agradecemos a oportunidade de conviver com o Mestre sem sofrer com a inveja, a arrogância e o preconceito presente no dia a dia de muitas pessoas. A família Capoeira é quem ganha com a união de todos nós... Muito axé a todos... Obrigado Minhoca e todos que acompanham o guardião de nossa cultura viva! Salve Mestre Ananias

Reduto de Bambas disse...

" E com o povo que nos fazemos cultos" - Jorge Amado.

Essa frase já diz tudo camará.
Muito axé a todos.